Projeto Mãos na Massa, da Buritirama, expandiu atuação e beneficiou 150 moradores

Veiculo: Diário do Pará - Impresso Um projeto desenvolvido pela Buritirama Mineração nas comunidades do entorno de sua operação beneficio a cerca de 150 moradores nas comunidades da estrada do Rio Preto em Marabá. De nome "Mão na massa" o projeto leva o conhecimento gastronômico par aque os participantes tenham a possibilidade de renda alternativa. Leia a matéria completa diretamente da fonte.   

Zona rural: Comunidade da Vila Zé do Ônibus ganha nova Escola Yeda Carvalho da Silva

Veiculo: Prefeitura de Marabá Uma grande festa movimentou a comunidade da Vila Zé do ônibus, zona rural de Marabá, região do Rio Preto. E a festa tinha um grande motivo, a inauguração da nova Escola Municipal Yeda Carvalho da Silva, substituindo a antiga escola construída de madeira há mais de 10 anos.   A nova escola tem capacidade para atender 280 alunos nos períodos da manhã e da tarde, um aumento de 133% no número de estudantes comparados com o ano anterior. A construção da escola foi realizada a partir de uma parceria com a empresa Buritirama Mineração. A empresa investiu cerca de R$ 500 mil na nova escola que será administrada pela prefeitura através da Semed. No novo prédio foram construídas 4 salas de aulas amplas, refeitório e pátio, banheiros adaptados para cadeirantes, cozinha, despensa, área de serviço, secretaria e sala para os professores.   A população lotou as dependências da nova escola para acompanhar a cerimônia de inauguração. Alunos, pais e servidores visitaram cada espaço que foi completamente decorado para receber a comunidade. “Nesse momento é um misto de gratidão e felicidade porque a partir de agora teremos um espaço digno e aconchegante muito melhor para receber nossos alunos e esse ano será de intensa aprendizagem e a nova escola é um sonho realizado LER ESTA NOTÍCIA DIRETO DA FONTE

Produtores faturam até R$ 1,5 mil por mês com colheita de açaí em Nova Ipixuna

Em parceria com a Buritirama Mineração, os coletores de açaí devem comercializar 19 toneladas do produto. Marabá (PA), outubro de 2021 – Fruto brasileiro e tradicional no Pará, o açaí está em época de colheita. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2020, o Brasil produziu mais de 1,4 milhão de toneladas, e a expectativa é de crescimento para este ano. Em Nova Ipixuna, na região sudeste paraense, 38 produtores locais estão nas Fazendas Nacionais – área da Buritirama Mineração para o plantio eucaliptos com fins comerciais, com foco na preservação da fauna e flora – para colher e comercializar a produção de açaí. De outubro a dezembro, 19 toneladas devem ser extraídas, gerando renda mensal de até R$ 1.500 aos coletores. Elder Bolsonello, Líder de Operações da Buritirama, explica que para a atividade dentro das Fazendas Nacionais, é necessária uma autorização prévia da companhia, como medida de segurança patrimonial, possibilitando somente a entrada de pessoas da Comunidade do KM 41, que possuem identificação. “Encontramos uma forma de manter os costumes locais, cuidar da comunidade e auxiliar na geração de renda, por meio da venda dos frutos no mercado local e para compradores em cidades vizinhas, como Marabá e Castanhal. Por outro lado, os coletores nos apoiam comunicando sobre qualquer atividade prejudicial nesta área como caça, incêndios, entre outros. Com isso, todos saem ganhando”, afirma. Segundo dados de 2019 da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), o consumo de açaí cresce 15% a cada ano, sendo a região Sudeste o destaque nacional com a demanda pela versão ultra processada acompanhada com leite condensado, fruta da estação, granola e leite ninho. Já no mercado externo, os maiores importadores do fruto brasileiro são os Estados Unidos e Japão, que, juntos, compram mais de 90% do total.   LER ESTA NOTÍCIA DIRETO DA FONTE
Buritirama usará fonte de energia renovável em suas operações

Buritirama usará fonte de energia renovável em suas operações: entenda as vantagens dessa ação inédita para o meio ambiente!

Uma das prioridades da Buritirama Mineração, a maior mina de manganês da América Latina, é o seu compromisso com a sustentabilidade e o meio ambiente. Por esse motivo, realizamos uma série de projetos relacionados à preservação da natureza. Dentre eles, estamos trabalhando na implementação de um modelo totalmente novo de funcionamento nos próximos meses.  Recentemente nos destacamos entre os canais de comunicação por anunciarmos que seremos a primeira mineradora do país a implantar um sistema de geração de energia limpa no país.  A nossa operação é realizada na cidade de Marabá, no estado do Pará.  O projeto é o seguinte: nos próximos meses, ainda esse ano, todas as nossas atividades de mineração serão abastecidas por energia limpa. Além disso, teremos uma parceria incrível com a empresa Tesla, a qual fabrica baterias MicroPower.  São produtos de longa duração que suprirão a demanda energética da operação quando não houver incidência de raios solares.  A intenção da Buritirama é que ainda no primeiro semestre de 2022 todo esse sistema já esteja funcionando, fazendo com que a empresa contribua ainda mais para um futuro mais sustentável.  Mas, afinal, o que é energia limpa e renovável? Mais do que conhecer a nossa ação, é importante entendermos esse de energia e a sua importância para o mundo.  Portanto, antes de mais nada, abordaremos o que é energia limpa, como esse modelo funciona, sua importância para o meio ambiente e, claro, como a Buritirama implementará esse conceito nas suas atividades.  Acompanhe!  Energia limpa: entenda o conceito e como funciona  Basicamente, energia limpa é toda aquela eletricidade gerada por meio de fontes renováveis e sem a emissão de poluentes ao meio ambiente. É uma forma de emissão de energia mais sustentável por diminuir impactos ao meio ambiente. Antes de continuarmos, é importante esclarecer que fontes renováveis não são inesgotáveis. Elas são fontes de energia de origem natural - como o sol, água, vento, por exemplo.  Elas são encontradas em abundância na natureza, facilitando sua reposição no meio ambiente, mas, isso não quer dizer que elas não podem ser esgotadas. De qualquer forma, é uma alternativa mais limpa, sustentável e eficiente que a geração de energia que estamos acostumados. Atualmente, as maiores representantes desse tipo de geração de energia no mundo são as solar e a eólica. No Brasil, tornam-se ainda mais vantajosas, pois somos uma nação com grande abundância de recursos naturais. Por sorte de termos abundância de recursos solares e eólicos, existe uma vantagem perante ao mercado mundial. Essa característica nos proporciona oportunidades incríveis, como o projeto da Buritirama (o qual será implementado com a utilização de painéis solares que revertem os raios do sol em energia). Também contaremos com os geradores de energia limpa que mencionamos no início do conteúdo.  Entenda a importância dos sistemas de energia limpa para o mundo! Por que a Buritirama tomou essa decisão? Substituir todo o sistema de energia de uma operação é mais complexo do que parece. Então, por que a empresa tomou essa decisão tão importante?  Certamente houve um grande estudo por trás da escolha, afinal, foi necessária a análise de vários aspectos - incluindo o nosso compromisso com a sustentabilidade, a região em que trabalhamos e o futuro do planeta.  O que muitos não sabem é que, embora a energia seja fundamental para a vida moderna, a produção elétrica representa uma das maiores parcelas na emissão de gases de efeito estufa (GEE). Isso não apenas no Brasil, e sim no mundo todo. Aqui o problema é bastante sério e deve ser considerado com certa urgência.  No país, a geração de energia elétrica responde por grande parte das emissões de gases poluentes dentro da categoria energia.  Segundo o relatório da SEEG (Sistema de Estimativas de Emissões e Remoções de Gases de Efeito Estufa), a geração elétrica emitiu 423,5 milhões de toneladas de dióxido de carbono equivalente (CO2e) apenas em 2016 no Brasil, que é um número extremamente chocante.  O lado positivo é que, desde 2012, esse é um cenário que muda a cada ano e cada vez mais empresas diminuem a emissão de gases e até mesmo seu sistema de energia, como a Buritirama. Por ser uma decisão importante, com altos impactos e que envolve toda a produção da empresa, foram anos estudando as possibilidades e a melhor forma de fazer essa transição até que chegamos ao grande momento. Em 2022, a Buritirama será a primeira mineradora do país a ter toda a sua operação funcionando com base em um sistema de energia renovável, completamente limpa. Estamos otimistas que cada vez mais as grandes empresas, como a nossa, também assumam esse compromisso com a sociedade e a natureza. A empresa está animada para os próximos passos rumo a um futuro mais limpo, sustentável e agradável. Acompanhe as novidades pelos nossos canais de comunicação! 

O acordo mais esperado do ano

O acordo firmado entre a China MinMetals e a Buritirama para a aquisição de 1,5 milhão de toneladas de manganês por ano é apenas a ponta do iceberg. A trading asiática estaria negociando a compra de uma participação na mineradora, controlada por João Araújo – entre outros negócios, acionista também da Paranapanema. Nossa principal meta em 2022 é continuar trabalhando no planejamento e desenvolvimento, buscando novos investimentos, ofertando minério de qualidade e as melhores práticas de sustentabilidade.  

Brazil’s mining innovator meets growing global

The mining sector is already benefiting frim resurgent commodities prices, as well as rising demand from China, an upturn in investiments, and posotive foreing exchange effects. Brazilian mining revenues were up 36% year-on-year in 2020, reaching $38.7 billion, and red-hot growth has continued into 2021: The Brazilian Mining Institute reports that mining sector sales surged by 98% during the first half of the year to reach $29 billion, putting the sector on track to easily surpass last year’s growth. Buritipar Group, a key player in the industry, is reaping the rewards.

Ajuda no combate a incêndios em Marabá

A Buritirama Mineração entregou à Defesa Civil de Marabá (PA) equipamentos de controle e combate às queimadas, que serão utilizados pela brigada de incêndio rural. O órgão recebeu 70 itens, dentre os quais materiais de proteção individual e equipamentos hidráulicos, que auxiliarão o trabalho da corporação. Além disso, capacetes, luvas e óculos, mochilas de água especiais para combate a incêndio, placas de sinalização, mangueiras para alta temperatura, bicos de jato em latão e conexões de mangueira em latão.

Escória para melhorar rodovia em Marabá

A Buritirama Mineração e Prefeitura de Marabá (PA) promoveram, em parceria, melhorias na Estrada do Rio Preto, principal acesso às vilas da zona rural da cidade e via de escoamento do agronegócio da região. Na primeira fase da operação, 100 km foram restaurados no trecho entre Marabá e a Vila União. A iniciativa aconteceu pela parceria entre a empresa e a prefeitura, por meio do representante Mariozan Quintão. Foram mobilizados nove caminhões, dois rolos compactares, duas motoniveladoras, duas escavadeiras e três caminhões pipas para atuar na estrada para arrumar buracos e desnivelamento.

Imprensa

Se você é jornalista e deseja solicitar entrevistas, formular pautas, pedir informações ou esclarecer dúvidas, entre em contato com a assessoria de imprensa da Buritirama.

[email protected]